30/11/2021

Cofen participa de reunião do Conselho Regional de Enfermagem do Mercosul

Representantes do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina discutem desafios e avanços da Enfermagem no Mercosul

Representantes do Cofen acompanham reunião que se estende até a próxima quinta-feira (02/11)

Buscando fortalecer a Enfermagem Sul-Americana a partir da difusão de boas práticas e do fomento de parcerias, foi iniciada na manhã desta segunda-feira (29/11) a reunião do Conselho Regional de Enfermagem do Mercosul (CREM). O encontro acontece na cidade de Assunção, capital paraguaia, e reúne representantes do Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina. Até a próxima quinta-feira (02/12), as entidades de Enfermagem integrantes do CREM buscarão estreitar laços e desenvolver ações voltadas para a cooperação técnico-científica, para o exercício legal da profissão e para a capacitação de profissionais atuantes da região.

A reunião marca a retomada das atividades do CREM, paralisadas desde o início da pandemia da Covid-19. “Este encontro assinala um importante momento de retomada dos encontros presenciais do conselho, fundamental para a integração entre as nossas organizações e a Enfermagem dos nossos países. Tivemos grandes avanços no relacionamento entre as entidades membros do CREM, e esperamos dar continuidade a todo o trabalho que vinha sendo realizado”, disse o presidente do Conselho Regional de Rondônia (Coren-RO), Manoel Neri, que presidia o Cofen no momento anterior à crise sanitária ocasionada pelo novo coronavírus.

A Presidente da Associação Paraguaia de Enfermagem (APE), Mirna Gallardo, anfitriã do encontro, agradeceu aos demais representantes pela presença, e caracterizou a reunião como uma oportunidade de se discutir meios de desenvolvimento para a Enfermagem da região. “Estamos felizes e honrados que as discussões do CREM estejam se desenvolvendo aqui, no Paraguai. Temos muita esperança de que desta semana sairão importantes direcionamentos que contribuirão com o avanço da nossa profissão”, evidenciou.

A representante do Colégio de Enfermeiras do Uruguai, Valéria Quinteiro, destacou a necessidade da construção de uma identidade latino-americana para a Enfermagem. “Somos a área que coloca a saúde da população sobre os ombros, e é de extrema importância que estejamos aqui, hoje, fomentando acordos. Este encontro é uma oportunidade de construirmos caminhos que permitam a construção de uma Enfermagem com a identidade latino-americana”, declarou.

Entidades integrantes do CREM do Paraguai, Uruguai e Argentina também marcam presença no encontro

Para o primeiro tesoureiro do Cofen, Gilney Guerra, é necessário que as boas experiências disseminadas durante o encontro sejam afastadas para a realidade da Enfermagem de cada país, de modo a desenvolver o CREM e a profissão. “Historicamente, a Enfermagem da nossa região não tem recebido a devida atenção. Este encontro mostra que precisamos nos organizar, trocar experiências e difundir boas práticas. É preciso entender o contexto em que estamos inseridos para fortalecermos, avançarmos e consolidarmos a Enfermagem do Mercosul”, complementou.

“A expectativa é de que ao fim deste encontro tenhamos propostas e encaminhamentos prontos para serem executados de forma precisa e eficaz, visando a integração e o desenvolvimento da Enfermagem a nível do Mercosul”, enfatizou o vice-presidente do Cofen, Antônio Marcos Freire.

Após encerramento da abertura do encontro, representantes do Cofen apresentaram as ações do Conselho Federal no combate à pandemia de Covid-19 no Brasil, o perfil dos profissionais inscritos, desafios e perspectivas da profissão no Brasil, além de dados e outras informações sobre a atuação do Cofen na busca pelo protagonismo da profissão. “Dentre os pilares de atuação, está o investimento em inovação, empreendimento e empoderamento, com o objetivo de transformar a realidade vivida pela Enfermagem brasileira”.

Mirna Gallardo expôs a situação da Enfermagem no Paraguai, e apresentou dados sobre a profissão, destacando importantes conquistas obtidas pela categoria no país. Atualmente, profissionais de Enfermagem paraguaios contam com jornada de trabalho de 30 horas e Piso Salarial regularizados. O plano de carreiras e cargos já foi aprovado em lei, bem como o plano especial de aposentadoria.

Entidades apresentaram a situação da Enfermagem em seus países, compartilhando experiências e boas práticas

Valeria Quinteiro exibiu o cenário da profissão no Uruguai, destacando a dificuldade de reconhecimento do trabalho do profissional de enfermagem. Segundo a representante uruguaia, há escassez de profissionais, defasagem salarial, precárias condições de trabalho e má formação educacional.

A reunião também conta com a participação remota de Sônia Isabel Gómez, da Federação Argentina de Enfermagem (FAE). A reunião terá continuidade nesta terça-feira (30/11). Entre os assuntos da agenda, será discutido o exercício da Enfermagem nas áreas de fronteiras dos países do Mercosul.

CREM — O Conselho Regional de Enfermagem do Mercosul (CREM) é um órgão supragovernamental criado em 1994 pelas entidades de Enfermagem oficiais dos quatro países (Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai), com o objetivo de assessorar e de normatizar o exercício profissional da Enfermagem nos países do Mercosul, contribuindo para o fortalecimento da identidade regional entre os profissionais atuantes no bloco.

O conselho nasceu da necessidade de se analisar a situação da Enfermagem na região quanto ao perfil profissional, formação, legislação, bem como pela importância de se discutir experiências de integração existentes nas fronteiras. Atualmente, o CREM é composto pelas entidades membros: Conselho Federal de Enfermagem do Brasil (Cofen), Federación Argentina de Enfermería (FAE), Asociación Paraguaya de Enfermería (APE) e Colegio de Enfermeras del Uruguay (CEDU).


Fonte: Ascom - Cofen



  • banner_anaiss1-e1349203955613-207x115