16/08/2018

Manifesto em favor da Enfermagem

Durante a manhã desta quinta-feira (16), em frente ao Hospital

Durante a manhã desta quinta-feira (16), em frente ao Hospital e Maternidade Balbina Mestrinho, o Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren/AM) em ato de Desagravo Público reuniu dezenas de profissionais e acadêmicos de Enfermagem que acompanharam o manifesto em favor da equipe de Enfermagem da referida maternidade que foram desrespeitados pelo médico Adolfo Lima Araújo.

Os profissionais de Enfermagem tiveram suas prerrogativas violadas depois de serem acusados pelo médico de “desovar e “sequestrar” os pacientes no pré-parto, referindo-se aos procedimentos de Enfermagem e condutas dos profissionais de maneira leviana, desrespeitosa e caluniosa. O caso resultou em abertura de Processo Ético Disciplinar pelo Conselho de Enfermagem, situação que gerou mal-estar e grande constrangimento perante toda classe.

Segundo o presidente do Coren/AM, Sandro André Pinto, essa ação é uma forma de demostrar que o Conselho não tolera esse tipo de desrespeito. “Já basta tudo que a Enfermagem amazonense vem sofrendo ao longo dos anos, desvalorização, sobrecarga de trabalho, baixos salários e salários atrasados. Não aceitaremos que outras profissões nos desrespeite, é ela que carrega a saúde nas costas, por isso, merecemos respeito”.

A representante da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras do Amazonas (ABENFO-AM), Ivone Amazonas, se posicionou de forma veemente destacando a importância do enfermeiro obstétrico no centro do parto normal. “Só queremos apoio, parcerias e trabalho em equipe, porque justamente o trabalho em equipe é que vai fazer o diferencial. Repudiamos qualquer tipo de ato que venha denegrir a imagem da equipe de Enfermagem, que tanto luta pela qualidade de vida das nossas mulheres e crianças nas maternidades”.

Ao fim, o presidente do Coren/AM, que conduziu o desagravo, afirmou que, Enfermagem unida é Enfermagem forte. “Estamos demostrando nossa coragem e força. Hoje somos mais de 40 mil no Amazonas, precisamos nos posicionar veementemente, não tenha medo, denuncie! Todas as vezes que recebermos denúncias, você pode ter certeza que nos posicionaremos”, completou.

O manifesto contou com o apoio do Sindicato dos Profissionais e Enfermeiros do Amazonas e a Associação Brasileira de Enfermagem, Manaustrans e Polícia Militar do Amazonas.

Fonte: Ascom-Coren/AM




  • BannerLateralEdimensionamento-207x117
  • banner_anaiss1-e1349203955613-207x115