16/08/2018

Primeira turma de acadêmicos e profissionais recebe capacitação sobre Sistematização da Assistência de Enfermagem

O auditório da Escola Superior de Ciências da Saúde da

O auditório da Escola Superior de Ciências da Saúde da Universidade do Estado do Amazonas – ESA/UEA recebeu 150 profissionais e acadêmicos de Enfermagem nesta quarta-feira, 15, para a realização da 1ª Oficina de Desenvolvimento do Instrumento de SAE (Sistematização da Assistência de Enfermagem). Promovido pela Câmara Técnica de Ensino e Pesquisa do Coren-AM a oficina abordou como o processo da sistematização ocorre em ambientes públicos, privados em que há o cuidado profissional de enfermagem.

A doutoranda em Enfermagem pela UEA e membro da Câmara técnica, Drª Elielza Guerreiro explica a importância e o conhecimento da prática para profissionais e acadêmicos. “Importante para empoderar o enfermeiro no ambiente da prática clínica a utilizar o processo de enfermagem e também é importante para o acadêmico que está em fase de formação, pois adquire o conhecimento sobre o processo ainda no aprendizado para praticá-lo quando no exercício da profissão”.

Elielza explica que o processo de enfermagem é uma metodologia para alcançar as cinco etapas da sistematização (Coleta de dados de Enfermagem, Diagnóstico de Enfermagem, Planejamento de Enfermagem, Implementação e Avaliação de Enfermagem). A sistematização é aprovada pela Resolução Cofen 358/2009.

O processo de enfermagem embasa o cuidado, dá segurança e permite qualificar o cuidado de forma individualizada. Outro fator imprescindível é a qualificação do profissional para que o mesmo apresente o domínio sobre o processo para o ambiente hospitalar, tendo em vista a contratação de enfermeiros capacitados por Unidades públicas ou privadas certificados pela ONA (Organização Nacional de Acreditação).

O presidente Sandro André enfatizou que o Conselho preocupa-se com a qualificação da Enfermagem amazonense. “Nós entendemos que só os capacitados podem ir mais longe e exercer as suas atividades com excelência. A enfermagem não é apenas arte, é conhecimento e ciência também”, explicou. Sandro André também comentou que os enfermeiros e acadêmicos devem sair de encontros como esses encorajados a implementar uma assistência de qualidade.

Além de palestras sobre a aplicação da SAE, autonomia profissional, e apresentação de mudanças de Diagnósticos de Enfermagem (DE), os participantes, em grupos, aplicaram o conhecimento adquirido na resolução de casos clínicos do processo de enfermagem.

A técnica de enfermagem, Jaciele Bentes, disse que o aprendizado é sempre bem vindo e as atualizações na área devem ser do conhecimento de todos. “Nós que trabalhamos em hospital público sabemos que a demanda de paciente é muito grande para o número de profissionais e a cada curso que fazemos aprendemos algo que nos ajuda a trabalhar de uma forma melhor. É importante que os profissionais estejam sempre buscando melhorar”. Para ela a iniciativa do Coren em capacitar e atualizar a categoria quanto aos novos processos de enfermagem é muito importante tanto para quem já está na área quanto aos estudantes.

Professora da Escola de Enfermagem da Ufam e membro da câmara Técnica, Drª. Sáskia Sampaio acredita que a sistematização é o método para que o enfermeiro possa ser reconhecido e consequentemente visível. “Para os profissionais de enfermagem, capacitá-los, atualizá-los e para os estudantes é instrumentalizá-los para a prática futura”, disse.

A cada dois anos os diagnósticos de enfermagem precisam ser revistos e atualizados. Sáskia lembra que há uma carência em relação a essa temática que requer empenho e dedicação, diante disso, a preocupação do Conselho juntamente com a equipe da Câmara Técnica de Ensino e Pesquisa é uniformizar e difundir esse conhecimento para a categoria.

FONTE: Ascom/Coren-AM




  • BannerLateralEdimensionamento-207x117
  • banner_anaiss1-e1349203955613-207x115