Registro de Empresa

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA EMPRESA PRIVADA
REGISTRO/RENOVAÇÃO DE EMPRESA:
Requerimento inscrição (ou renovação) fornecido pelo COREN – AM;
Anuidade 2019 (conforme capital social – Lei 12.514/2011,
Resol. COFEN 435/2012 e Decisão Coren-Am 017/2013)
Taxa de Registro de Empresa R$ 401,68.
Relação dos profissionais contendo nome completo, categoria e CPF (inclusive voluntários e
estagiários, se houver);
Apresentar original e cópia autenticada:
Instrumento de constituição da empresa (contrato social, estatuto) devidamente registrado nas
repartições competentes (JUCEA ou Cartório de Registro Civil e de Pessoas Jurídicas), bem como
suas alterações; devendo constar claramente descrito o capital social da empresa.
Contrato firmado entre a empresa e o enfermeiro ou atos que o designam para a direção das
atividades de enfermagem (portaria ou cópia de publicação em diário oficial);
Cópia Simples
Ata de eleição ou designação dos atuais dirigentes (se for o caso);
Projeto Político Pedagógico (para escolas de educação profissional);
Regimento Interno somente para empresa pública;
Empresa privada especificar no seu contrato social/estatuto/regulamento/regimento ou instruções
de serviços, as funções do Enfermeiro ou Obstetriz dirigente e responsável técnico das atividades
de enfermagem.

ORIENTAÇÕES
Resolução COFEN 255/2001,
CAPÍTULO 1
Disposições Gerais
Art. 1º – Em virtude do disposto no art. 1º da Lei nº 6.839, de 30 de outubro de 1980, está obrigada
ao registro no COREN competente, toda Empresa basicamente destinada a prestar e/ou executar
atividades na área da Enfermagem, inclusive sob as formas de supervisão e de treinamento de
recursos humanos, ou que, embora com atividade básica não especificamente de enfermagem,
presta algum desses serviços a terceiros.
Parágrafo único – A vinculação aos CORENs visa assegurar a realização das atividades referidas
neste artigo em termos compatíveis com as exigências éticas do exercício da Enfermagem.
Art. 4º – A realização de atividade de enfermagem, sem o prévio registro da empresa no COREN
competente, acarretará à mesma as sanções legais, previstas na legislação vigente.
CAPÍTULO IV
Registro
Seção I
Disposições preliminares
Art. 8º – Cada estabelecimento-sede, agência, filial ou sucursal de uma empresa onde são
realizadas atividades de enfermagem, será objeto de registro específico no COREN que
jurisdiciona a área onde se localiza.
Parágrafo único – Os empreendimentos em fase final de organização, referidos na alínea “b”, in
fine, no parágrafo único do art. 2º, poderão, se observados o disposto nos incisos do art. 16, obter
registro provisório, transformado, independentemente de novo requerimento dos interessados, em
definitivo, mediante certidão de que a nova empresa se encontra legalmente constituída, expedida
pelo órgão cartorial ou pela Junta de Comércio.
Art. 9º – O COREN negará o registro à empresa:
I – Que não contar com Enfermeiro na direção de seus serviços de enfermagem;
II – Cujo pessoal de enfermagem não estiver com sua situação regularizada junto ao COREN
competente;
III – que não especificar no seu contrato social, estatuto, regulamento, regimento ou instruções de
serviços as funções do Enfermeiro ou Obstetriz dirigente das atividades de enfermagem e seu
responsável técnico.

Art. 11 – O registro terá validade por 5 (cinco) anos e poderá ser reavaliado por períodos iguais e
sucessivos, mantido o número do registro inicial.
Art. 14 – O registro no COREN obriga a empresa ao cumprimento, no que forem aplicáveis, das
normas baixadas pela Autarquia, bem como ao recolhimento da anuidade estipulada. (CORENAM=
mesmo valor da taxa de registro)
Seção II
Requerimento
Art. 15 – A empresa requererá seu registro no prazo de 30 (trinta) dias a contar do arquivamento de
seus atos constitutivos nas repartições competentes.
Art. 16 – O registro é requerido ao Presidente do COREN em formulário por este fornecido
gratuitamente, do qual constará:
I – nome ou razão social da empresa e número de inscrição no cadastro fiscal, estadual ou
municipal, conforme o caso;
II – endereços do estabelecimento-sede e da(s) agência(s), filial(is) ou sucursal(is);
III – nome e número de inscrição, no COREN respectivo, do(s) Enfermeiro dirigente(s) das
atividades de enfermagem da empresa;
IV – relação nominal dos demais profissionais/ocupacionais de enfermagem em atividade na
empresa, com as respectivas categorias e nos de inscrição no COREN.
§ 1º – O requerimento de registro é instruído com cópia autenticada dos seguintes documentos:
a) instrumento de constituição da empresa (contrato social, estatuto) devidamente registrado nas
repartições competentes, bem como suas alterações;
b) ata da eleição ou designação dos atuais dirigentes, caso não constante do instrumento referido
na alínea “a”;
c) contrato(s) firmado(s) entre a empresa e o(s) Enfermeiro(s) e ato(s) que o(s) designa(m) para
direção das atividades de enfermagem e a respectiva responsabilidade técnica;
§ 2º – A autenticação dos documentos exigidos no § anterior poderá ser feita gratuitamente pelo
COREN, mediante exibição, pela empresa, dos originais correspondentes.
§ 3º – O requerimento é formalmente protocolizado, constituindo processo que será objeto de
deliberação por parte da Presidência do COREN, ad referendum, a ser submetida a Pleno, na
primeira reunião subsequente.
§ 4º – Na hipótese aludida no parágrafo único do art. 8º, o requerimento de registro provisório será
firmado pelo sócio ou sócios majoritários da empresa em organização

Art. 17 – As empresas referidas na alínea “a” do parágrafo único do art. 2º e no art. 3º, instruirão
seus requerimentos com cópia autenticada dos seguintes documentos: a) regimento e/ou
regulamento do departamento, divisão, serviço, setor ou unidade onde são realizadas atividades de
enfermagem; b) ato (s) de designação do (s) Enfermeiro (s) para a direção do (s) Órgãos (s)
incumbidos (s) das atividades de enfermagem e respectiva responsabilidade técnica.
Seção III
Deferimento e Realização do Registro
Art. 18 – O pedido de registro será deferido àquelas empresas que satisfizerem às exigências das
presentes Normas.
Revalidação de Registro
Art. 19 – A revalidação será requerida no primeiro semestre do último ano do qüinqüênio de
validade do registro.
§ 1º – O requerimento obedecerá às disposições do art. 16, seus incisos, e alínea “c” de seu § 1º
bem como do art. 17, quando for o caso.
§ 2º – O COREN declarará a caducidade do registro cuja revalidação não haja sido requerida
tempestivamente.
Art. 22 – O pedido de cancelamento será deferido, uma vez comprovada a quitação com os
encargos financeiros junto ao COREN.
CAPÍTULO V
Disposições Finais
Art. 25 – O COREN estabelecerá prazo para cumprimento de diligência.
Parágrafo único – Caso o interessado não atenda à diligência no prazo estabelecido, o requerimento
será indeferido e arquivado o processo, que será desarquivado mediante requerimento específico.
Art. 26 – O valor da anuidade a ser recolhida pela empresa será fixado pelo COREN consoante o
art. 15, inciso XI, da lei nº 5.905, de 12 de julho de 1973.


Anexos

469 KB pdf Baixar


  • BannerLateralEdimensionamento-207x117
  • banner_anaiss1-e1349203955613-207x115